Globedia.com

×

Error de autenticación

Ha habido un problema a la hora de conectarse a la red social. Por favor intentalo de nuevo

Si el problema persiste, nos lo puedes decir AQUÍ

×
×
Recibir alertas

¿Quieres recibir una notificación por email cada vez que Bosquesonoro escriba una noticia?

WALDEMAR BASTOS ''CLASSICS OF MY SOUL'' (ANGOLA,2010) @ [229k VBR]

30/05/2011 00:11 0 Comentarios Lectura: ( palabras)

image

WALDEMAR BASTOS 

''CLASSICS OF MY SOUL''

(ANGOLA, 2010) @

Nascido na fronteira entre Angola e o Congo, em 1954, Waldemar Bastos começou a cantar e a fazer música desde a mais tenra idade. "Cinco séculos de colonização fizeram com que eu ouvisse durante o crescimento muitas canções de muitas culturas diferentes", explica ele. Para além de música africana, ouvia muita música brasileira e também os Beatles, Nat King Cole, os Bee Gees e Carlos Santana, no fundo, influências não-africanas desde cedo.

Mas, com uma guerra pela independência, Angola não era um lugar fácil para se viver. Ainda estando na escola, Waldemar foi detido e preso pela Polícia Secreta Colonial Portuguesa sem motivo aparente.

image

Após Angola ter finalmente conseguido a sua independência em 1975, a sangrenta guerra civil afundou o país. Waldemar relutantemente concluiu que este não era um clima em que os músicos se pudessem desenvolver e crescer e, na sequência de uma visita a Portugal em 1982, ele decidiu não regressar.

No entanto, Waldemar não permaneceu em Portugal por muito tempo. Lisboa sempre esteve muito "perto" de Luanda e, temendo represálias acabou por ir para Berlim, na Alemanha Ocidental, onde tinha alguns amigos. .. Waldemar permaneceu na Alemanha durante alguns meses até que partiu para o para o Brasil, onde se familiarizou com alguns músicos bem conhecidos, como Chico Buarque, João do Vale, Elba Ramalho, DJAVAN e Clara Nunes, entre muitos outros que tinham em Angola, em finais dos anos setenta, integrado o Kalunga Projecto. Este projeto foi a maior delegação brasileira artística de visita a outro país.

As coisas correram bem no Brasil, com alguns dos artistas acima mencionados a demonstrar, na prática, o verdadeiro significado do reconhecimento e da solidariedade. Waldemar acaba por encontrar uma editora interessada no seu trabalho, EMI-Odeon, e grava o seu primeiro album. O conhecido "ESTAMOS Juntos", um marco definitivo na carreira de Waldemar Bastos, inclui o tema "A Velha Chica" ( "Xê, menino, não fala política"), e teve, como convidados especiais, Chico Buarque, João do Vale, Dorival Caimmy, Martinho da Villa Novelli, entre outros. Em 1985 instala-se em Lisboa; grava o seu segundo álbum Angola Minha Namorada em 1990, e Pitanga Madura, em 1992.

Em 1997, a convite de David Byrne da Luaka Bop, Waldemar Bastos grava em Nova Iorque o album Pretaluz com Arto Lindsay.

O mais recente álbum de Waldemar Bastos, Renascence contém algo que os seus fans identificarão como tranquilizador e familiar, contudo também transmite energia e paixão.

imageConstruindo pontes através da música como linguagem universal combinando o património Africano com a Europa contemporânea.

*********************

Born on the border of Angola and Congo in 1954, Waldemar Bastos started singing and making music at an early age. "Five centuries of colonisation meant that when I was growing up I heard many songs from many different cultures, " he explains.

As well as the African sounds he heard a lot of Brazilian music; the Beatles, Nat King Cole, the Bee Gees and Carlos Santana as early non-African influences.

But with an independence war raging, Angola was not an easy place to live. When he was still at school, Waldemar was detained and imprisoned by the Portuguese colonial secret police without reason. After Angola eventually achieved its independence in 1975, bloody civil war engulfed the country. Waldemar reluctantly concluded that this was not a climate in which musicians could develop and grow, and following a visit to Portugal in 1982, he decided not to return. He did not stay in Portugal for very long. Lisbon has always been to "close" to Luanda, and since Waldemar feared reprisals, he went to Berlin, West Germany, where he had some friends.

Waldemar remained in Germany for a few months. Then he left to Brazil, where he became acquainted with some well known musicians, such as Chico Buarque, João do Vale, Elba Ramalho, Djavan and Clara Nunes, among many others who had been in Angola in the late seventies, integrated in the Kalunga Project. This Project was the largest Brazilian artistic delegation to ever visit another country.

imageThings went well in Brazil, with some of the above-mentioned artists demonstrating, in practice, the real meaning of recognition and solidarity. Waldemar ends up finding a label interested in his work, EMI-Odeon, and records his first album. The well-known "Estamos Juntos", a definitive landmark in Waldemar Bastos' career, includes the theme "A Velha Chica" ("Xê, little boy, don't talk politics"), and had, among others, Chico Buarque, João do Vale, Dorival Caimmy, Martinho da Villa and Novelli as special guests.

In 1985, he settled in Lisbon, recording his second album Angola Minha Namorada in 1990 and Pitanga Madura in 1992.

In 1997, invited by David Byrne from Luaka Bop, Waldemar Bastos records in New York, the album Pretaluz with Arto Lindsay.

Waldemar Bastos most recent album, Renascence contains much that his fans will find reassuringly familiar. And yet also with more energy and passion.

Building bridges with music as a universal language combining African heritage with contemporary Europe.

Fonte/Source

LINK DE LA CASA / HOUSE LINK


Sobre esta noticia

Autor:
Bosquesonoro (1378 noticias)
Fuente:
bosquesonoro.blogspot.com
Visitas:
4483
Tipo:
Reportaje
Licencia:
Distribución gratuita
¿Problemas con esta noticia?
×
Denunciar esta noticia por

Denunciar

Comentarios

Aún no hay comentarios en esta noticia.